Qual é a forma de abrir uma startup? [Guia simples e prático para começar]

Todos os passos para abrir a sua startup

Neste artigo, vamos apontar os principais tópicos para ajudá-lo a abrir a sua startup. Chegou a hora de explicar como começar a sua startup.

Quais os principais desafios ao abrir a sua startup?

O empreendedorismo é uma das decisões mais importantes da vida, pois é quando você opta por transformar sua ideia de negócio em empresa, porém, existem muitas grandes ideias que falham, visto que nem sempre quem tem grandes ideias para abrir uma empresa, criar um produto ou serviço inovador, têm experiência ou familiaridade com o processo de abertura de uma empresa, proteção de marca, dentre outras etapas que absorvem tempo e dedicação.

No Brasil, muitas startups nascem todos os dias e buscam se destacar em um mercado altamente competitivo. Mas o caminho para abrir este modelo de negócio exige empenho, planejamento e uma série de formalidades cruciais para a adequação da empresa às exigências legais e fiscais para o desenvolvimento e sustentabilidade do negócio.

Por exemplo, é preciso desenvolver um plano de negócios, formalizar toda a documentação legal, criar e registrar uma marca, planejar o regime tributário, etc.

Diante de tantas exigências, o desafio número um que os empreendedores enfrentam é: Como começar?

É por isso que neste artigo vamos apontar alguns tópicos para ajudá-lo a iniciar uma startup de sucesso. Vamos começar retomando brevemente qual o conceito de uma startup e seus requisitos.

Startup – uma definição

A definição de uma startup geralmente aponta para modelo de negócio repetível e escalável, no qual a receita tem o potencial de crescer sem um aumento proporcional dos custos. Ou seja, o termo é utilizado para definir uma empresa baseada principalmente em tecnologia e dotada de boa capacidade de crescimento. Estas empresas muito inovadoras são frequentemente apoiadas tanto por investidores privados como pelo Estado, dada a sua capacidade de inovar e rentabilizar.

Alguns também consideram que a Startup deve, obrigatoriamente, estar relacionada com o surgimento constante de novas tecnologias. Isso é parcialmente verdade. Caso a startup tenha determinados requisitos, ela pode ser definida como uma empresa inovadora.

Principais características de uma startup

Escalabilidade: Uma empresa escalável é aquela que detém um modelo replicável de negócio, característica que permite crescer exponencialmente sem exigir vultosos recursos para se expandir.
Repetibilidade: A repetibilidade é uma medida do potencial do modelo de negócios para ser repetido em menor escala e depois replicado em diferentes períodos e regiões geográficas e/ou público-alvos.
Inovação: As startups nasceram para preencher uma lacuna no mercado, para inovar com uma nova forma e satisfazer as necessidades que aparentemente não foram devidamente percebidas.
Evolução Rápida: Qualquer aspirante a empreendedor sabe que as startups estão em constante mudança e evolução e devem se adaptar e mudar para sobreviver e crescer.

E do ponto de vista jurídico ?

De modo geral, as startups e demais empresas convergem na questão da estrutura jurídica. Como qualquer empresa, a startup pode adotar um dos muitos formatos jurídicos empresariais. Devido às vantagens que lhe estão associadas, o estatuto jurídico mais frequentemente adotado pelas startups é o de sociedade limitada, visto que essa forma de estrutura jurídica caracteriza-se por uma grande flexibilidade, segurança para possíveis investidores e liberdade na organização interna da empresa.

Dito isso, vamos dar uma olhada nas principais formalidades para abrir a sua startup.

1. Valide a sua ideia para entender seu potencial


Avaliar e testar um modelo de negócio são etapas essenciais antes de avançar na construção de um projeto. De fato, não basta ter uma boa ideia para ter sucesso em uma aventura empreendedora. Para potencializar suas chances, você deve buscar maneiras de avaliar e validar sua ideia de negócio.

Os consultores dirão que muitos são os métodos utilizados para avaliar e testar uma ideia de negócio, como por exemplo, aplicá-lo em um ambiente controlado com um número específico de pessoas. Nenhum é melhor que o outro, o mais importante é ter uma reflexão profunda e construtiva sobre o seu projeto como forma de otimizar o potencial e minimizar possíveis frustrações.

2. Analise o mercado

Você deve ter um problema que as pessoas têm e estão dispostas a pagar para obter a melhor solução. Você também precisa ter um problema e uma maneira de fornecer aos clientes a solução e, portanto, precisa encontrar uma maneira de vender essa solução.

Para fazer tudo isso você precisa conhecer perfeitamente o seu mercado-alvo. A primeira coisa a fazer é descobrir o que está na mente de seus clientes.

3. Elabore um plano de negócios

Você sabe qual o principal motivo que a maioria das startups falham? A falta de um plano de negócios objetivo, claro e realista!
Isso mesmo, a maioria dos empreendedores não tem um plano de negócios, então eles não sabem, de forma clara, para onde estão indo, ou mesmo como chegar lá. Eles apenas se debruçam no trabalho e esperam o melhor com isso. Infelizmente, não funciona assim. É preciso um planejamento cuidadoso se você deseja ter sucesso. E o planejamento é justamente o objetivo do projeto empresarial.


Antes de abrir a sua startup, faça um diagnóstico de oportunidades e ameaças, pontos fortes e fracos, agregando os objetivos da empresa que você vai abrir. É fundamental saber o quanto terá que investir no processo de abertura e o capital necessário para dar início às atividades. Além da etapa financeira do empreendimento, o plano definirá também o público alvo e qual direcionamento a empresa terá no mercado.


No plano de negócios, identifique as informações sobre o setor, os produtos e serviços que serão oferecidos. Analise o mercado, por meio de um levantamento do perfil de clientes, concorrentes e fornecedores. Fale com potenciais clientes e usuários para obter feedback. Defina como será criado o seu produto e como será o processo de desenvolvimento e registro de marcas. Uma startup deve propor as ações de marketing desde o início de suas atividades.

4. Defina a estrutura jurídica para sua startup


Qual será a forma jurídica da empresa? Quando se cria uma startup, esta é uma das principais dúvidas do empreendedor e, com certeza, é uma das perguntas mais importantes que se deve fazer. Conhecer as diferentes estruturas jurídicas ao abrir uma empresa ajuda a mensurar os objetivos, responsabilidades fiscais e outros aspectos legais do negócio. Lembre-se que Microempresa (ME) e Empresa de Pequeno Porte (EPP) são definições baseadas no porte e faturamento, não no tipo jurídico.

MEI

Uma opção para aqueles que pretendem exercer a atividade de forma individual e terá um faturamento de até R$ 81 mil anuais, é ser Micro Empresário Individual (MEI). O registro para o MEI é bastante simples e pode ser realizado no Portal dos Empreendedores. Nesta modalidade, o pagamento dos impostos é simplificado e está isento dos tributos federais. Ao formalizar a empresa, recebe-se um certificado de microempreendedor.

Empresário Individual

Se o faturamento for superior ao limite estabelecido para MEI, o empresário poderá se registrar como Empresário Individual (EI) na Junta Comercial. Esta estrutura jurídica é semelhante ao MEI, entretanto sem limitação de faturamento, a depender do porte. Em função disso, o Empresário Individual está sujeito à mesma tributação aplicável às sociedades empresariais, não percebendo os benefícios simplificados de tributação ao microempreendedor.

EIRELI

Outra opção para quem deseja abrir uma startup sem sócios é a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI). Nesta modalidade, concebida apenas pela figura do empresário, o capital social inicial deverá ser de, pelo menos, 100 vezes o valor do salário-mínimo vigente no Brasil. Esta exigência deve-se ao fato que, diferente do MEI e do EI, ocorre a distinção do patrimônio do empresário em relação ao patrimônio da empresa. Este aspecto é o que confere a este tipo de empresa a propriedade de responsabilidade limitada. Se a sua startup tiver o apoio de cofundadores, a sociedade empresarial limitada pode ser uma boa opção.

Estrutura com sócios

A sociedade empresária limitada, identificada pelo Ltda., é uma das estruturas societárias mais recorrentes no Brasil. Com essa estrutura é possível cercar-se de apoiadores, dividir as responsabilidades e exercer uma atividade econômica em conjunto. A sociedade será constituída a partir da elaboração do contrato social. Os sócios de uma Ltda. dividem os lucros e respondem de forma limitada ao capital social da empresa.

A quantidade de quotas que cada um detém define as responsabilidades financeiras, ou seja, o capital investido pelos sócios define sua participação nos negócios. A principal característica deste tipo de sociedade é o fato de que o patrimônio pessoal dos sócios é preservado, no caso de dívidas ou falências.

Outro ponto que contribui para a sustentabilidade da empresa é a política de distribuição de lucro, visto que a remuneração dos investidores está relacionada ao capital investido na empresa. Também é vetada a retirada ou distribuição dos lucros para os sócios, caso haja prejuízos para o capital da empresa.

Tenha um acordo de confidencialidade

O acordo de confidencialidade é um acordo de caráter tipicamente empresarial com o objetivo de assegurar que determinadas informações estratégicas sejam mantidas em sigilo. É um instrumento jurídico acertado por duas ou mais partes.


Todo empreendedor deve estar ciente da importância da confidencialidade para o resguardo de informações junto aos seus interlocutores. Este acordo pode determinar o sucesso do projeto, pois evita que a concorrência tenha acesso a informações e processos que sua startup tanto batalhou para conquistar.


O acordo de confidencialidade garante que conhecimento tecnológico e técnicas de produção permaneçam em segredo até o lançamento no mercado ou, se necessário, muitos anos depois. Como qualquer documento jurídico, o acordo de confidencialidade deve ser bem delineado, evitando erros e ambiguidades para cumprir a sua finalidade.

Faça um planejamento tributário


O regime tributário está diretamente ligado à estrutura empresarial escolhida, bem como ao tamanho do negócio. Fazer um bom planejamento tributário deve ser uma das primeiras e principais preocupações inseridas no plano de negócios quando o objetivo for abrir uma empresa. O planejamento tributário gera economia e evita despesas desnecessárias com tributos federais, estaduais e municipais.
Como micro ou pequena empresa, é possível optar por três tipos de regimes tributários: Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional. Dependendo do tipo de faturamento, o mais vantajoso dos três será o Simples Nacional.

Registre a marca da sua startup

Ao criar a sua marca, lembre-se que ela deve evidenciar a personalidade de seus produtos e serviços, contudo sem esquecer quem é seu público-alvo. Criada a marca, antes de explorá-la, é preciso efetivar o seu registro junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Ao fazer o registro de marca, conservam-se os direitos exclusivos sobre a mesma, dentro do respectivo domínio de atividade, por um período de dez anos, que pode ser renovado.

Estratégias de divulgação e marketing


Com a marca registrada, os valores e missão da empresa definidos, fica mais fácil focar nas estratégias de marketing da empresa. Uma nova empresa precisa despertar o interesse pelo seu produto ou serviço e há várias maneiras de se fazer isto, sem precisar de grandes somas de investimento em publicidade.

Colocar em prática um programa de marketing, não significa apostar todas as fichas em uma única e grande ação. No início das suas atividades, uma startup precisa focar em ferramentas que possibilitem mensurar resultados e colaborem para alinhar o direcionamento dos negócios. A construção de um website, o registro de domínio e a instalação de uma ferramenta de rastreamento, como o Google Analytics, são os primeiros passos para marcar presença no ambiente online.

Outra estratégia que tem mostrado resultados positivos para as startups é desenvolver ações por meio do marketing de conteúdo. Além de atrair um público mais efetivo, o marketing de conteúdo auxilia no ranqueamento do seu site em motores de busca.

Estabeleça as práticas de governança corporativa

A governança corporativa é uma forma de dar transparência a todas as decisões e os processos que envolvem a companhia e o seu público alvo. Independente do porte da empresa, a governança corporativa deve existir como uma forma de proporcionar mais agilidade e transparência ao negócio.

A governança corporativa envolve as práticas relacionadas ao direcionamento da empresa, relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle, entre outras, tornando a empresa mais eficiente. Numa empresa em que a governança corporativa se faz presente, cada um sabe exatamente como, quando e porque agir. Essa sistemática se aplica à tomada de decisão estratégica, incorpora novos projetos e resolve impasses entre sócios e diretorias.

Para implantar a cultura de governança corporativa, deve se ter conselhos fiscais e administrativos, ferramentas de gestão, relatórios e auditorias. Isso confere bem mais credibilidade perante investidores e clientes.

Conclusão

O melhor caminho para ser trilhado em todos os aspectos para uma startup é, de fato, a inovação. Mas uma empresa não se sustenta apenas por ter uma grande ideia ou a concepção de um grande negócio. O planejamento e a adequação do modelo de negócios continuam sendo o determinante para o sucesso de todo e qualquer empreendimento.

Embora não exista um percurso padronizado para você criar uma empresa, podemos encontrar algumas diretrizes que os novos empreendedores podem levar em conta nesta jornada. Além de todos os itens citados até aqui, é importante levar em consideração: o nicho de mercado, avaliação de risco, custos operacionais iniciais, capacidade financeira, dentre outros aspectos, como assessoria contábil e jurídica.

4 comentários em “Qual é a forma de abrir uma startup? [Guia simples e prático para começar]”

  1. Pingback: Como elaborar um plano de negócios para a sua startup?

  2. Pingback: Scale-up: o que é e como se diferencia de uma startup

  3. Pingback: HRTechs e a Nova Economia

  4. Pingback: Conheça os diferentes tipos de Startups

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja mais insights do slap.LAW