Governança corporativa: conceito, objetivo e princípios

Veja aqui o que é governança corporativa

Neste artigo, vamos abordar gestão empresarial e os aspectos relacionados à governança corporativa para startups.

Governança corporativa: um fator chave de sucesso para startups

Todas as empresas, independente do seu porte e/ou segmento de mercado, devem prezar por estabelecer uma base sólida de atuação, em acordo com um conjunto de regras, políticas e boas práticas de gestão. Assim como, lançar mão de processos alinhados com sistemas de monitoramento e regulação da atividade organizacional.

A construção de uma base sólida, norteada por “diretrizes organizacionais”, tem como objetivo a gestão empresarial transparente, representando a aplicação contundente e eficiente da chamada governança corporativa. Sabemos que o ecossistema de startups difere em muitos aspectos em relação às empresas convencionais, desde a natureza das relações sociais que se estabelecem, na forma e nível de aplicação tecnológica e quanto aos métodos de financiamento do desenvolvimento empresarial, uma vez que, em geral, são organizações emergentes, apoiadas por incubadoras, estruturas privadas e públicas, dedicadas à inovação e à escalabilidade.

No contexto das startups, o tema da governança configura uma alavanca de crescimento e antecipação para startups que, se bem utilizada, promoverá seu desenvolvimento baseado em princípios de transparência, responsabilidade e segurança.

Dito isso, vamos ver juntos em que consiste e qual é o seu propósito.

O que é governança corporativa?

A Deloitte, líder global em auditoria e garantia, define governança corporativa como “o conjunto de regras, princípios e procedimentos que regulam a estrutura e o funcionamento dos órgãos sociais de uma empresa (acionistas, diretores e alta administração)”.

Portanto, essa governança corporativa estabelece um sistema de regras, políticas e práticas que determinam a tomada de decisões na atuação da empresa de forma a gerar valor para todos os stakeholders e, claro, para a empresa. Para que uma empresa atinja seus objetivos estratégicos, ela deve ter controles, políticas, boas práticas e tomadas de decisão corretas de modo a atender ao planejamento estratégico dos negócios e seus interesses enquanto organização.

Esses interesses podem ser um processo de caráter temporário (como um projeto) ou duradouro (como a sua missão enquanto organização).

Objetivos da governança corporativa

Falamos anteriormente sobre o propósito da governança corporativa. Mas para que serve, na prática, esse conjunto de regras e processos usados ​​para gerenciar e organizar um negócio?

O principal objetivo é, acima de tudo, facilitar uma gestão eficaz e empreendedora, de forma a garantir o sucesso da empresa em longo prazo. Vale destacar que a governança corporativa evoluiu nos últimos anos no intuito de não apenas atender aos interesses dos sócios ou acionistas, mas também aos interesses de todos os stakeholders, ou seja, todos aqueles envolvidos no negócio sem cujo apoio a organização deixaria de existir.

A governança corporativa apoia-se:

  • sobre os processos e regulamentos que regem o trabalho da empresa
  • nos valores e na cultura organizacional

Além disso, advém de um conceito desenvolvido no âmbito da proteção dos direitos e interesses dos acionistas, da alta administração e do conselho de administração. Entretanto, atualmente, depreende-se que o conceito engloba outros atores:

  • funcionários;
  • fornecedores;
  • clientes;
  • investidores;
  • instituições reguladoras; e
  • comunidade em geral.

Alguns especialistas no tema vão ainda mais longe. Entendem que a governança corporativa deve adotar uma visão mais holística, considerando todos aqueles atores que impactam a empresa e o ambiente ao seu redor, como as questões relacionadas aos impactos ambientais da atividade e seu desempenho na mitigação desses impactos.

Como é estabelecido o esquema de governança corporativa nas startups e empresas em geral?

Para estabelecer um esquema de governança corporativa em uma empresa ou o conjunto de regras e práticas corporativas que determinarão o comportamento de diretores, tomadores de decisão, conselho de administração, acionistas, etc., padrões comuns devem ser estabelecidos.

Aqui estão alguns princípios universalmente conhecidos como pilares que reforçam a governança corporativa:

Independência dos administradores: este princípio garante a liberdade do conselho de administração, com o objetivo de zelar plenamente pelo bem e pelos interesses da empresa como um todo, de forma imparcial.

Compliance: conformidade com leis, regulamentos e fatores relacionados à segurança dos funcionários. Pode ser tanto em relação à legislação quanto às políticas corporativas.

Responsabilidade: responsabilidade para todas as partes interessadas, não apenas para os acionistas.

Planejamento estratégico: monitoramento das ações implementadas para aplicá-la da forma mais eficiente possível.

Transparência: o uso da comunicação aberta e eficiente com todos os stakeholders [internos e externos].

Justiça e equilíbrio: zelar pela diversidade e a paridade dentro da empresa, mesmo nas esferas mais altas (equilíbrio de gênero, por exemplo).

Respeito ao meio ambiente: a governança corporativa deve incluir no seu escopo o respeito ao desenvolvimento sustentável.

Como aplicar os princípios da boa governança em sua startup?

A governança eficaz deve levar em consideração o planejamento estratégico, os valores, a missão e a visão de sua organização, bem como seu plano de sucessão.

Aqui estão alguns princípios-chave a serem seguidos:

  • Tenha um plano de negócios e valide-o regularmente;
  • Designe as pessoas certas para os cargos certos;
  • Distribua responsabilidades;
  • Integre a diversidade nos conselhos de administração;
  • Avalie regularmente o plano de negócios, as estratégias e as prioridades da sua organização.

Com certeza, os itens listados até aqui não esgotam o tema da governança corporativa, visto que é um tema abrangente, principalmente quando se trata de abordar mecanismos eficazes e os princípios que norteiam esse conceito. Ademais, devido às suas especificidades, as startups necessitam de práticas de governança adequadas [que vamos explorar em uma oportunidade próxima].

Mas esperamos que esse conteúdo tenha sido útil e mostrado o quanto a boa governança tem o potencial de oferecer valor a sua startup se você souber como aproveitá-la.

2 comentários em “Governança corporativa: conceito, objetivo e princípios”

  1. Pingback: Governança Jurídica e Investimentos em Startups

  2. Pingback: Por que devo me preocupar com A estruturação jurídica da minha startup?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja mais insights do slap.LAW