Governança Jurídica e Popularização dos Investimentos em Startups

Com o desenvolvimento do mercado em geral no Brasil, mesmo com os altos e baixos da economia dos últimos anos, temos visto uma onda de Startups se destacando, inclusive internacionalmente, trazendo retornos econômicos significativos para os investidores. 

O número de Startups alcançando o tão sonhado posto de unicórnio, além dos números gerais de empresas e de outros tantos players que atuam no ecossistema (como fornecedores de insumos, prestadores de serviços e etc) evidenciam um nível maior de maturidade geral. 

Assim, quando mais empresas se destacam e os retornos financeiros começam a retornar para o mercado, é esperada a popularização dos investimentos por uma parte cada vez maior das pessoas. 

Quanto mais gente investe, há mais capital circulando, e mais profissionais capacitados são atraídos para o mercado, fechando-se o ciclo virtuoso. Quando isso acontece, o crescimento do mercado é inevitável. 

Nesse cenário, se por um lado as perdas dos investimentos em Startups se tornam algo mais palatável, o mercado mais maduro passa a esperar (e exigir) uma maior seriedade na estruturação, gestão e governança das empresas para que o insucesso seja menos provável e a única repercussão negativa de um eventual fracasso seja financeira. 

Mas, para que isso aconteça, uma das mais importantes medidas a serem empreendidas pelos empresários é investir desde os primeiros dias do projeto na estruturação e governança jurídica da empresa. 

Isso porque a devida organização societária, regulatória e contratual, além de trazer o necessário alinhamento entre todos os stakeholders (pessoas com interesse na empresa – sócios, colaboradores, investidores, prestadores de serviços, etc), é capaz de prevenir diversos riscos, tanto de fracasso do negócio, pela mesma falta de alinhamento, quanto pela exposição a riscos não previstos. 

Além dos aspectos acima, a estruturação jurídica adequada facilita em muito o acesso dos empreendedores ao capital, degrau extremamente importante na jornada empreendedora, já que quanto mais organizada e transparente for a gestão da empresa, maior a confiança do investidor.

É claro que o sucesso de uma startup depende de muitos aspectos, nem sempre relacionados à gestão e estruturação jurídica. No entanto, quanto mais alinhados estão os sócios e o time, e mais estruturada está a empresa, maiores são suas chances de sucesso – ou menores as de fracasso. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais insights do slap.LAW