ESG: entenda o conceito e seu impacto para as Startups 

Veja aqui o que é ESG

Os pilares do ESG estão relacionados às práticas ambientais, sociais e de governança de uma organização. Saiba mais! 

Entendendo o conceito ESG

O mundo está cada vez mais consciente dos impactos ambientais, sociais e de governança das empresas. As pessoas estão se conscientizando da importância de um mundo sustentável e estão buscando empresas que reflitam esses valores. 

Diante disso, o ESG é uma tendência que veio para ficar. ESG (Environmental, Social and Governance) é um termo usado para descrever os três principais fatores relativos à responsabilidade corporativa.. São eles: o meio ambiente, a sociedade e a governança.  

Na verdade, a sigla reúne um conjunto de fatores associados com a sustentabilidade, a qual também é baseada em 3 pilares: econômico, social e ambiental. As empresas estão buscando ativamente melhorar seu desempenho nesses itens para atender às demandas dos stakeholders e da sociedade em geral. 

A crescente importância do ESG também pode ser percebida em dados. Segundo a S&P Global Inc., o valor total de ativos sob gestão ESG ultrapassou globalmente US$30 trilhões. Além disso, o número de fundos ESG duplicou nos últimos cinco anos e as empresas têm investido cada vez mais em iniciativas ESG.

O Brasil é um dos principais mercados para as iniciativas ESG no mundo, com uma crescente demanda por investimentos sustentáveis que buscam neutralizar o impacto ambiental das atividades empresariais e econômicas. 

O que abrange cada um dos três fatores ESG 

O meio ambiente é o primeiro fator a ser considerado. Ele engloba questões como poluição e mudanças climáticas, bem como ações e programas de mitigação de impactos e conservação dos recursos naturais. 

O aspecto social, por sua vez, refere-se às pessoas impactadas pelas empresas: desde funcionários até comunidades carentes que podem ser beneficiadas por ações sociais. Questões como educação, diversidade, inclusão, saúde e bem-estar social podem ser levadas em conta aqui. 

Por fim, a governança trata da forma como as empresas são administradas, onde investem seus recursos, como preparam-se para gestões de crise e sobre os direitos dos acionistas.

Como as empresas têm incorporado o ESG? 

A incorporação desses três requisitos em um único conjunto de indicadores tem sido alavancada pelo crescente reconhecimento de que elas estão intimamente relacionadas e podem ter um impacto significativo nas performances financeiras das empresas.

As práticas ambientais responsáveis, por exemplo, podem gerar economias de custos operacionais, aumentar a produtividade e atrair novos talentos que se identificam com o posicionamento consciente da corporação. As boas práticas sociais também podem ter um impacto financeiro positivo, reduzindo o risco de litígios, turnover  e aumentando a satisfação dos stakeholders. 

Já as boas práticas de governança corporativa estão ligadas à transparência, à responsabilidade fiscal, à ética e às boas relações com acionistas, reguladores e outros stakeholders. 

Embora cada uma dessas três dimensões seja importante por si só, elas estão interconectadas e o impacto financeiro e de reputação positiva da empresa pode ser maximizado quando elas são consideradas em conjunto. 

Por que as startups devem considerar os fatores ESG?

Considerar os requisitos do ESG pode ajudar as startups a tomar decisões mais conscientes e responsáveis. Isso porque uma boa gestão desses fatores pode resultar em menor risco de investimento, maior interesse por parte de fundos e maior potencial de retorno. 

Além disso, cada vez mais os investidores estão buscando maneiras de incorporar questões ESG em seus portfólios, uma vez que esses itens  podem ter um impacto significativo na rentabilidade dos investimentos.

O que são metas ESG?  

As metas ESG são as metas que uma organização se propõe a alcançar em termos de impacto social e ambiental.

As metas podem incluir objetivos como:

  • reduzir o consumo de energia;
  • aumentar a eficiência energética;
  • diminuir as emissões de carbono;
  • melhorar as condições de trabalho;
  • ter um quadro de funcionários inclusivo;
  • reduzir o desperdício e a poluição.

Concluindo, o ESG é importante para as startups por vários motivos. Em primeiro lugar, o ESG pode ajudar as startups a atrair investimentos de impacto, que podem fornecer capital necessário para o crescimento e desenvolvimento da empresa. 

Segundo, também pode ajudar as startups a se destacarem em um mercado cada vez mais competitivo, pois os investidores estão cada vez mais interessados em investir em empresas que demonstrem preocupação com questões ambientais e sociais. 

Por fim, os fatores ESG podem contribuir para uma melhor imagem da empresa, para um ambiente de trabalho mais saudável e sustentável e para uma sociedade mais consciente.


Apesar de ainda ser um termo pouco conhecido pelo grande público, o ESG vem ganhando cada vez mais espaço nas discussões sobre investimentos. Seu impacto é cada vez mais sentido nas Startups, que precisam estar atentas aos seus aspectos sociais e ambientais.

Por isso, achamos importante explorar neste post o conceito do ESG. Se você gostou deste conteúdo, confira também o artigo Due Diligence: definição e importância, e aprenda tudo o que você precisa saber sobre esse assunto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja mais insights do slap.LAW

slaplaw

Contrato de Transferência de Tecnologia e Startups 

O contrato de transferência de tecnologia é um acordo formal entre uma empresa e um indivíduo ou organização para o qual a empresa cede os direitos de uso de uma determinada tecnologia. Em linhas gerais, são acordos formais entre duas ou mais partes, nos quais se especificam os termos e condições do compartilhamento da tecnologia. 

Saiba mais