Os crimes virtuais próprios e impróprios

Hoje em dia o espaço virtual proporciona um ambiente social para interações, porém com as novas tecnologias, este espaço tem sido usado para transgressões, e os crimes virtuais ocorrem desta forma. 

São diversas denominações para os crimes praticados no ambiente virtual elencados pela doutrina, que são difíceis de criar consenso, devido às constantes mudanças no universo cibernético. Porém, com um olhar macro nos delitos que se relacionam com a tecnologia, é possível dividi-los em próprios e impróprios. 

Os crimes próprios tem como objetivo o sistema computacional em si, sendo a prática e a consumação do fato apenas acontecendo no meio digital. O exemplo desses crimes praticados por hackers é a invasão, modificação ou alteração no software ou hardware de computadores, de dispositivos conectados na rede e os ataques de negação de serviço.

Os crimes impróprios são aqueles que utilizam a internet como um meio, e os seus efeitos repercutem na vida real. O computador é um mero intermediário destas ações. Os principais crimes impróprios são a falsificação de documentos, crimes contra a honra, ameaças, e o recentemente sancionado, crime de perseguição ou stalking. 

Tal violência não está desassociada do mundo real,  as discriminações construídas socialmente são reproduzidas no mundo virtual. Atualmente, os crimes virtuais mais cometidos no Brasil são o cyberbulling e a pornografia de vingança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais insights do slap.LAW