Estamos muito perto de ir ao Espaço

Você certamente já ouviu falar da SpaceX e do bilionário Elon Musk, que figura hoje como segundo homem mais rico do mundo, apenas atrás de Jeff Bezos, fundador da Amazon. 

O bilionário Sul Africano, que fez seu império nos Estados Unidos, sonhava desde muito cedo com o Espaço e precisou fundar algumas empresas de muito sucesso para poder colocar seu plano de explorar Marte em seus negócios. 

Após fundar e fazer uma saída de muito sucesso da PayPal, fundou a SpaceX, que vem revolucionando o mercado AeroEspacial, tendo lançado diversos foguetes ao Espaço. Em 2020, mandou seu primeiro foguete tripulado ao Espaço, em uma parceria com a NASA, retomando com êxito o programa espacial Americano, que vinha em declínio. 

As inovações trazidas pela SpaceX são impressionantes, desde o sucesso nessas missões, com foguetes muito mais baratos do que os existentes no mercado, além da capacidade de reutilização dos foguetes que aterrizam após lançar suas naves, até o lançamento de um foguete cargueiro, Falcon 9, o qual está previsto para hoje, 24 de janeiro de 2021, e levará 143 satélites ao Espaço. 

A SpaceX, além de ter reanimado o programa espacial americano, que agora prevê voos regulares ao Espaço, retomando seu protagonismo, inaugurou uma nova Era de verdadeira exploração comercial do Espaço. 

Aí você pode pensar, e o que isso tudo tem a ver com indivíduos normais indo ao Espaço? 

Pois é. 

É que além de Musk, outros bilionários vem financiando programas para exploração comercial do espaço e o outro empreendedor maluco que já alcançou algum sucesso é o britânico carismático Richard Branson, fundador de diversas empresas ligadas à Virgin – Virgin Airlines, Virgin Money, Virgin Galactic e sua irmã Virgin Orbit, dentre outras. 

No último dia 17, a empresa Virgin Orbit lançou ao Espaço um foguete com diversos satélites, em um teste bem sucedido da capacidade de a empresa lançar seus foguetes, que possuem um sistema de lançamento diferente e inovador; seus foguetes são lançados à Órbita a partir de um avião especialmente adaptado. 

Ou seja, o foguete é acoplado a um avião e lançado quando atinge uma determinada altitude e velocidade. O lançamento de foguetes do solo é uma das partes mais sensíveis e importantes, de modo que essa nova forma pode ajudar em vários aspectos as idas dos foguetes ao Espaço. 

E nós, civis, onde entramos na história? 

Acontece que esse foguete lançado pela Virgin é apenas um teste para que, em breve, sejam lançados voos tripulados, começando pelas forças aéreas americanas, britânicas, dentre outras, e depois empresas de exploração comercial de satélites, como a Swarm Technologies. 

Logo após, caso a empresa siga tendo êxito e obtendo recursos nesse mercado gigantesco, o de satélites, colocará seu plano principal em ação: o de mandar passageiros civis para voos chamados de Suborbitais, um sonho do bilionário.

Pessoas normais (bem sucedidas, obviamente), irão sobrevoar a Terra em breve, já que a Virgin anunciou voos ainda para 2021. 

Quem quiser se aventurar, a lista de espera está aberta e o ticket custará 250 mil dólares. Se você está achando que isso não vai funcionar, saiba que mais de 600 pessoas já compraram as passagens. 

Em breve, estará aberta a temporada do turismo espacial. 

O Espaço nunca esteve tão perto. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais insights do slap.LAW