A Transformação Digital dos Pequenos

Não é novidade para ninguém que vivemos na Era da Transformação Digital; grande parte de nossas vidas está migrando ou já ocorre no ambiente digital. Dizem os especialistas que entraremos, em breve, em um momento em que nossas vidas off e online não se diferenciarão. Viveremos imersos num todo em que não seremos capazes de diferenciar o que é “real” ou digital, ou melhor, não conseguiremos separar um mundo do outro. 

Hoje ainda é possível se ter um negócio 100% offline, realidade que, muitos acreditam, não mais será viável. Por isso, se fala muito em modelos de negócio omnichannel. 

Ter um canal, significa uma vitrine, uma loja física, muito comum para a grande maioria dos pequenos e médios empreendimentos. 

A evolução, até então, era multi canal, por exemplo, loja física, popup store ou quiosque e site (e-commerce). A sua grande mudança é a capacidade de a organização ter diversos canais, mas todos centralizados, entregando uma experiência única para o usuário, que não mais é diferenciado conforme sua origem, loja física, rede social, e-commerce, etc, no que se chama de omni channel. 

Ocorre que essa realidade, como regra, ocorria somente em grandes players do varejo, que dispõem de recursos, espaços físicos e estrutura organizada que permitia essa migração de modelo de negócio. 

A mudança de multicanalidade para a onipresença, ou seja, entregar a mesma experiência em todos os canais, foi um movimento só dos grandes. 

Ocorre que, em tempos de pandemia, especialmente, as pequenas e médias empresas foram obrigadas também a fazer esse movimento de transformação digital e de entrar, definitivamente, no mundo online. 

E isso só foi possível porque mais e mais empresas, de regra, startups, começaram a mirar seus modelos de negócio nos pequenos e médios, que representam mais de 90% dos CNPJ’s do Brasil.

Assim, empresas como a @compredolado – que acabou de receber um aporte de 2,2 milhões de dólares, embora tenha sido criada nesse ano no meio da pandemia -, começam a despontar e a entregar soluções antes reservadas aos grandes, para pequenos e médios empreendedores. 

Na mesma linha, mas com um histórico já mais estruturado, além de um time de investidores de peso, a @contasimplesbr acaba de anunciar um aporte de U$S 2,3 milhões de dólares, para aumentar ainda mais sua base de 13 mil clientes. A empresa oferece conta corrente digital e um sistema de gestão financeira para pequenas e médias empresas. 

As micro e pequenas empresas já representam quase 30% do PIB brasileiro e empregam quase metade da população. Agora, estão, com a ajuda de startups e empresas de tecnologia, digitalizando-se para aumentar ainda mais sua presença e força no mercado. 

A Transformação Digital está chegando de vez nos pequenos também. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais insights do slap.LAW