2020 ficará marcado, pelo pior e pelo melhor, no mundo das Startups

Nunca se teve tanta empresa fechando, demitindo e deixando dívidas para trás. E como estão as Startups?

Sobre Startups, já temos visto movimentações destas empresas com interesse em preservar a atividade empresarial, buscando soluções como a Recuperação Judicial. 

Por aqui, já falamos sobre esse movimento e das dificuldades de empresas da Nova Economia, especialmente das Startups ainda em fase de crescimento – quer dizer, antes da estabilização e crescimento linear -, de se utilizar de institutos, como  Recuperação Judicial, criados para outro tipo de organização empresarial e  em outro tempo e cenário econômico. 

As Startups, com uma formação de ativos e dinâmica de trabalho diferentes das empresas do mercado tradicional – possuem estrutura de ativos organizada de outra forma, com seu capital alocado em pessoas, marca e conjunto de tecnologias, tendo mais dificuldade de se enquadrar nos requisitos e procedimentos previstos na lei. 

Por outro lado, embora estejamos vendo esse cenário desolador da crise, o curioso é que nunca se teve tanto dinheiro para investimentos em Startups, tanto investidor entrando nesse mercado, tanta empresa (especialmente de tecnologia) crescendo muito e tanta empresa abrindo capital – aqui no Brasil e no mundo (exemplo são as empresas tech se aventurando em IPO’s).

A Revista Exame apontou, em um estudo inédito publicado neste mês, um crescimento de investidores-anjo, aqueles que investem nas fases mais iniciais das Startup, para um total de 8 mil investidores. Esse tipo de investimento, foi responsável pela injeção de mais R$ 1 bilhão em Startups em 2019 – valor que deve se manter ou ter pequena queda por conta da pandemia. 

Por sua vez, segundo relatório da Plataforma Sling, o mês de agosto de 2020 apresentou um recorde de 10 bilhões de reais investidos em Startups, em mais 35 negócios, que obviamente, pela quantia, envolveram Startups em estágio muito avançado – como Neon Pagamentos, Nubank  e Wildlife – esta última, Startup de games para celular. 

Além disso, tivemos em 2020, no Brasil, diversas empresas listadas para abertura de capital na Bolsa de Valores – B3, incluindo Startups e empresas novas e de base tecnológica – nas quais podemos incluir Petz, Enjoei, Wine, Housi e Méliuz.

Esse movimento de IPO´s gerou até uma chamada na mídia:

“Nasdaq* é aqui!”

2020 com certeza foi um ano desafiador para muitos, mas para diversos outros empreendedores pode ter sido o ano das grandes oportunidades, crescimento e consolidação.

No mundo de hoje, cada vez mais VUCA (volátil, complexo, incerto e ambíguo – tema para outro texto), é mais difícil se cravar previsões. 

*bolsa de empresas de tecnologia nos EUA